Mas se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol...


terça-feira, 6 de setembro de 2011

.

A mão que assinou o papel derrubou uma cidade;
Cinco dedos soberanos tributaram a respiração,
Duplicaram a esfera dos mortos e reduziram um país à metade;
Esses cinco reis levaram um rei à morte.

A poderosa mão chega a um ombro arqueado,
As juntas dos dedos foram imobilizadas pelo gesso;
Uma pena de ganso pôs um fim ao crime
Que deu fim à troca de palavras.



A mão que assinou o tratado fez brotar a febre,
E cresceu a fome, e vieram os gafanhotos;
Grande é a mão que mantém o seu domínio
Sobre o homem por ter ele escrito um nome.

Os cinco reis contam os mortos, mas não aplacam
A ferida cicatrizada nem acariciam a fronte;
Há mãos que regem a piedade como outras o céu;
As mãos não têm lágrimas para derramar.

.

Poema: Dylan Thomas, The hand that signed the paper.
Arte: John Rogers, Council of war.

.

9 comentários:

Camila Márcia disse...

Quem está no poder não sabe a dor dos que não estão... Suas atitudes que deveriam estar voltadas para o bem comum, acabam voltando-se para o bem si mesmos.

Beijos.
Ameih!!!

JAN disse...

AS MÃOS SÃO PODEROSAS MESMO!
UMAS MAIS DO QUE DEVERIAM... OUTRAS MENOS;-)

ABRAÇÃO

JAN

Liza Leal disse...

Adorei o texto, Leo!

Ótimo encontrar mãos q fazem
a diferença, num mundo tão egoísta.

bjo
de luz
=*

Be Lins disse...

Suas escolhas
sempre perfeitas
de toda forma, te refletem,
meu caro Mago.

Sinto saudades de
você em todos os tempos.

Beijo

'Lara Mello disse...

É só dá o poder que saberemos quem realmente são as pessoas..
Sorte Léo! :)

Tati Lemos disse...

Muito legal, combinou com a foto, nunca li esse.

Beijo

Karlinha Ferreira disse...

Esse é novo pra mim, mas não menos forte!

Aparentemente antigo, mas tão contemporâneo.

Beijo grande!

Marcelo R. Rezende disse...

O poder que o poder tem e a gente, nada a poder fazer.

z i r i s disse...

As mãos não têm lágrimas para derramar.

As mãos não têm lágrimas para derramar.

As mãos não têm lágrimas para derramar.

As mãos não têm lágrimas para derramar.

Uma para cada pontada que sofri no peito!

Linda postagem! Sempre você nos levando a lugares nunca antes pisados...

Beijo grande!