Mas se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol...


domingo, 2 de agosto de 2015







uma névoa uma pungência
alguma incerteza, a pérola

cores distantes portas e fendas
alguma subjetividade não subsiste
à memória
palavras que partem
deixando só as sombras
e as últimas chuvas sangraram
ao meio-dia e aqui, você –



















  uma paisagem inteira

  ternamente
  manchada em minhas mãos.

  Poema: Priscila Rôde.
  Arte: Leonardo Macedo.

  .

3 comentários:

priscilarodec disse...

Tenho você como uma paisagem, uma pintura: sempre colorido, sempre colorindo-me. Inevitável não escrever um poema que lhe contorne. Agora a vida me atravessa mais feliz, amorável - como todas as coisas tocadas, moldadas, arquitetadas por Deus. E eu te amo sem que precises abrir os olhos. Te amo e nada mais é preciso.

Karlinha Ferreira disse...

Pura poesia, texto e arte...
Beijo grande

Paula disse...

Muito bonito!