Mas se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol...


domingo, 4 de maio de 2014






















O espelho caiu da parede.
Caiu com ele o meu rosto.
Com o meu rosto a minha sede.
Com a minha sede meu desgosto.
O meu desgosto de olhar,
No espelho caído, o meu rosto.

.

Poema: Cassiano Ricardo. A Física do Susto.
Arte: Pablo Picasso. A garota e o espelho, 1932.

.

4 comentários:

priscilarodec disse...

Bela combinação. Poema e Arte. Arte e Poema. Li pouco o Cassiano, bem pouco, e encontrar alguma obra dele nos sites/blogs de literatura tem sido cada dia mais raro...Adorei a escolha!

Teu blog só reafirma o que a Adélia disse - que a pintura é a arte mais próxima da poesia; a "parente mais próxima". Há uma fidelidade mútua entre elas. Um quê de fotografia-espelho.

Beijos! ;)

Sónia M. disse...

A arte é a poesia dos olhos...
Excelente escolha a do poema.

Abraço

António Jesus Batalha disse...

Seu blog é encantador, estive a ver e ler algumas coisas, não li muito, porque espero voltar mais algumas vezes,mas deu para ver a sua dedicação e sempre a prendemos ao ler blogs como o seu. Se me der a honra de visitar e ler algumas coisas no Peregrino e servo ficarei radiante, e se desejar deixe um comentário. Abraço fraterno.António.

Déborah Arruda. disse...

Certeiro!
Eu gosto muito da forma como sou levada nesse lugar, Leo. A poesia ilustrada daqui se faz lúdica e leve, aos olhos por vezes cansados.

Um abraçaço!