Mas se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol...


domingo, 14 de fevereiro de 2010

O Fim do Ciúme

.

"Quando meu corpo se apagar, quando a alma prevalecer sobre ele, quando eu me desprender aos poucos das coisas materiais como naquela noite em que estive muito doente, então não desejarei mais loucamente o corpo e amarei tanto mais a alma, não sentirei mais ciúmes. Então amarei de verdade."

O Fim do Ciúme - Marcel Proust

.
.

4 comentários:

Lilian disse...

'Amor só dura em liberdade,o ciúme é só vaidade' Já cantava Raul Seixas.
Belíssimo blog.
Estou seguindo.
Beijos.

MJCorrea disse...

Dividir-te-ei com o mundo
tu que és pleno e fecundo
comutarei meus ciúmes
na imensa alegria
de vê-lo brilhar
ao refletir tanto luz
ao vislumbrar teus olhos
nesse riso que seduz

Natiii disse...

Ameiii o comentário, e aqui minha alma sorri, tamanhaa poesiaa
adoro aqui
beijo moço, que o simples prevaleça

Natalia Araújo disse...

Lindo, Leo.
O ciúme é um alimento para o amor, quando usado numa dosagem certa. Mas se há exageros... Ele se torna ódio, obsessão.
É melhor não tê-lo, do que tê-lo em excesso.

Lindo isso!
Abraços. Voltarei...