Mas se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol...


sexta-feira, 22 de julho de 2011

.

Minha cabeça cortada
Joguei na tua janela
Noite de lua
Janela aberta

Bate na parede
Perdendo dentes
Cai na cama
Pesada de pensamentos


Talvez te assustes
Talvez a contemples
Contra a lua
Buscando a cor de meus olhos

Talvez a uses
Como despertador
Sobre o criado-mudo
Não quero assustar-te
Peço apenas um tratamento condigno
Para essa cabeça súbita
De minha parte

.

Poema: Paulo Leminski.
Arte: Edward Hopper, Boy & Moon.

.

31 comentários:

'Lara Mello disse...

Não conhecia esse :( Aprendi hoje por aqui Doce Léo! :)

Paula Cristina disse...

Não conhecia esse também ^^
eaí melhorou ?!

beijoos =*

Pipa. Agora eu era o herói. disse...

Deixa-me escalar esta montanha de palavras que quero chegar ao topo e atirar-me para depois do cume que a transborda. Eu preciso ir além. Além deste coração ensangüentado que pulsa nas entrelinhas perigosíssimas destas palavras, mas que ninguém vê porque o preto teima em esconder as manchas. Além de todos esses sentimentos que em um dia não muito distante, alagaram minhas retinas, mas acrescentaram luminosidade e magia à minha vida, fazendo com que eu me rendesse ao feitiço da poesia. Ninguém viu Leo, mas quando criança, eu vi estas palavras saírem fugidias de dentro da prisão da insanidade e gritarem desesperadamente por ajuda. Vi quando arrebentaram as correias das macas, soltaram-se das camisas-de-força e atravessaram os corredores de sombras. Elas libertaram-se antes que as chuvas de tranqüilizantes as surpreendessem e elas apodrecessem no sanatório da mente de seu criador. E uma cabeça rolou. E em grande estilo, em seu ato de coragem, a entrega se consumou. O que martela as nossas têmporas agora é este grito que o papel engarrafou. Um silêncio infestado de gritos. Que, no entanto, não fazem barulho algum. Ainda hei de descobrir o mistério dos grandes. Tenho atravessado desertos de papéis. E o extremo de mim, ainda continua fora de alcance.

Abraço-te até perder as forças.

E eu te amo, você sabe.

sua,


Pipa.

Leo disse...

Tuas palavras foram além, tocou-me a alma e - como tu diz - transbordaram minhas retinas. És luz!

Eu sei, tu sabes.

Até perder a força.

L. disse...

Quanto tempo não passo por aqui, Leo! Sempre bom me banhar de poesia.

Paula Leminski, como sempre, me deixando leve como um assovio.

Grande beijo!

Carina Rocha disse...

Ola Léo!

Belo poema, adorei ler pois não o conhecia!

Beijo de Portugal

Liza Leal disse...

Oi Leo!
Matando as saudades daqui.
Não me canso de teu bom gosto.

bjo
bom dia!
=)

Winny Trindade disse...

Ah, você sempre consegue tocar lá no fundo com esses poemas!

Saudades, Moço dos Segredos!

Marília Felix disse...

Há uma coisa dentro de mim que grita toda vez que venho aqui.
O nome disse é SORRISO de paz!

Beijos, meu Léo, :) meu companheiro do asteróide B612!

Jana disse...

Adoro ler os poemas que coloca aqui, são lindos.

Vai lá no meu blog, deixei um selinho para você.

Beijo

Alê disse...

Fiquei com medo Leo,

Rsrs, apesar de ser do Paulo,


bjos

C. disse...

Há muito homens que fazem a poetisa perder a cabeça, Leozinho, e perder, perdendo mesmo, de maneira súbita. Claro que esses que conseguem, sao dotados de grande carisma, querideza, alma e corpos quentes.

Acredita eu tava procurando o teu link exatamente quando comentou no CaFoFo? Transmissão de pensamento boca bonita, só pode.

um beijo de cá queridao!

Marcelo R. Rezende disse...

Que é tanto desprendimento num presente dessa parte.

Lindo *-*

нєllєи Cαяoliиє disse...

Paulo Leminski tem uma sensibilidade sem fim com os poemas,e você querido Léo mais ainda por nos contemplar com isso ;)
Um beijo enorme!

Rafaelle Melo. disse...

Uma entrega até o fim. Uma prece para que ao menos se tenha piedade.

Uma coragem de dizer estas linhas.

Uma dor de lê-los.

Beijo meu!
Saudoso beijo.

Natália Rocha disse...

Que poema mais lindo e doído!
Um encanto.

beeijo*

Ótimo domingo e boa semana pra ti!

Lívia Azzi disse...

Por causa do coração, muitas vezes perdemos a cabeça. E quando isso acontece criamos as metáforas mais bonitas.

Um beijo!

Leka disse...

Olá Leo!
Valeu pela visita!
Bjs, paz e tenha uma ótima semana!
http://guerradosmundosleka.blogspot.com/

Van disse...

Corações sempre insistem em se lançar em janelas, é normal...mas a cabeça...quando isto acontece salve-se quem puder...e se puder.

Beijos, Leo!

Néia Lambert disse...

Uma metáfora assustadora, rsrs, mas criativa!

Um beijo.

Mari disse...

Ola,
Deixo um carinho, um mimo, um cadinho de cor, tem selinho pra ti em: http://tintadotinteiro.blogspot.com/2011/07/amo-esse-blog.html

Abracos da Mari

OceanoAzul.Sonhos disse...

Á noite as sombras podem ter várias formas. Os sentimentos enaltecem e escrevem poesia.

Um abraço
oa.s

C. disse...

Boca bonita,

vim ver se tinha novise e matar saudadeeeeeeee e desejar linda sexta em companhia daquele chá bonito que me mandou a foto :))))

Mariane disse...

Escolha perfeita. Adoro vir pra cá.. ;D

Beijo, e bom final de semana pra vc :)

Priscilla Cavazzotto disse...

Passando para lhe desejar um bom final de semana!
Beijos meus

Van disse...

Bom final de semana, Leo!

B-jim

Michele Santti disse...

Autêntico.

Ótimo fim de semana Leo,

Abraço, Mih

Vivian disse...

Bom dia,Léo!!

Uma poesia interessante,com uma metáfora assustadora...rsrsr
Mas muitos perdem mesmo a cabeça ...
Beijos!

Denise Portes disse...

Leo,
Sempre aprendo algo novo com você.
Saudades
Um beijo
Denise

MJ FALCÃO disse...

Gostei muito.

Ana Karina Bucciarelli disse...

Não tens a impressão de que tudo em Hopper é literatura? Eu queria ser uma de suas telas, para então tornar-me bela, para sempre.