Mas se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol...


sábado, 29 de setembro de 2012

.

Não há amor perdido, nem se fingem milagres
Não reparto o destino que me expia em saudades...
E o grito ecoa profundo;
"Quero o meu mundo!"
O assalto recomeça, o espelho fascina
Sigo encoberto, o quebrando domina...
Mas a vida desalinha!
Sepulto a ruína, ressurjo em apreço,
E de novo, recomeço.


















Só quem se arrisca a ir longe demais
descobre o quão longe se pode ir.

.

Poema: T.S.Elliot. Recomeçar.
Arte: Salvador Dalí. O nascimento de um novo homem, 1943.

.

17 comentários:

Leo disse...

A pintura de Salvador Dalí foi criada em plena II guerra mundial, é portanto uma critica, retrata as dores e sofrimentos de um povo que vê o nascer do homem moderno.

É uma obra aberta à muitas interpretações e pontos de vista...o esforço, o toldo encobrindo o mundo-ovo, a criança musculosa que também representa o esforço pela sua liberdade
e o medo do novo homem, por isso não se chega perto, apenas se aponta. Enfim, deixo em aberto novos olhares.

Flor de Lótus disse...

Oi,Léo!Nossa quanto tempo?Saudades de vir aqui.Lindos versos é a gente só descobre do que é capaz quando vai a luta.
Um ótimo fim de semana!
Beijossss

JAN disse...

Oi Leo, você demorou a aparecer por aqui, mas apareceu em grande estilo!
Belo poema!
Bela ilustração!

E quanta verdade nessa mensagem!
Parabéns!
Tenha um bom domingo.

Jan

Liza Leal disse...

Olá Leo!
Ja estava com saudades desse gosto fino, apurado.. Por textos tão especiais!..

bjo
boa noite!

Marcelo R. Rezende disse...

Mas é muito elegante tudo por aqui.

Lívia Azzi disse...

Leo!!

Voltei, seu lindo!

Voltei feito o poema de T.S. Elliot: para recomeçar com novas doses de mim mesma.

Espero que você goste do Profana.

Beijão.

E saudadesssssssssssssssssssssssss...

Patrícia Vicensotti disse...

Determinação.
E definá-la,é encurtar os passos;estreitar a estrada.

Adorei o texto!
Beijos,Léo!!!

Tassyane Nunes disse...

Maravilhoso para refletir, pois tudo é verdadeiro.

Só quem se arrisca descobre até onde se pode chegar. Descobrimos isto, de uma maneira ou de outra.

Obrigada pela visita, Leo.

Be Lins disse...

O maior risco reside no medo de não se arriscar.
Sem ele, como recomeçar?

Sabe, quando passam por você, as palavras parecem remoçar.

Love, darling.

Be

Fernanda Curcio e Leonardo Macedo disse...

Você sabe o quanto admiro a arte de Dalí, acima de tudo, do surrealismo que é abordado por ele.

Não conheço muito da poética de T.S.Elliot., mas creio que as metáforas do poema retratem a reconstrução a partir de uma desconstrução. Belo!

Beijos meu bem!!

Karine Tavares disse...

Teu blog é ótimo!Parabéns!
Vem conhecer o meu:

leiakarine.blogspot.com

Liza Leal disse...

Matando as saudades daqui.

Tua visita é sempre um doce mimo,
Leo!
Opened doors to you!

=)
bjim

Bruna disse...

"Via-a assim e doía-me que a vissem outros."
Eu já estava com saudades do seu blog e eu ando com ciúmes dele ultimamente, a única coisa que fica na minha cabeça enquanto eu leio as suas postagens é essa frase do Machado de Assis. ♥ Beijo, Léo.

Tanara Adriano disse...

só amei seu blog, e este texto, simples assim!!
querido, o final do poema é uma verdadeira inspiração!
me sentiria honrada se me seguisse, caso queira!

voltarei mais vezes!
beijos! *

Maria José Speglich disse...

Por que parou? Parou porquê?

Abraço

Ana Luiza Cabral disse...

Era o que eu precisava ler. Obrigada.

Vampira Dea disse...

Texto intenso, adoro obras de Dali. tudo de bom teu espaço.