Mas se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol...


domingo, 19 de setembro de 2010

.

tenho um outono no corpo
de onde as
coisas
caem



vejo doçura nas roupas
espalhadas
pelo
chão

Poema: Mariana Botelho
Arte: Tâmara de Lempicka

.
.

20 comentários:

Juci Barros disse...

Muito bons, a arte está divina.
Beijos.

Franck disse...

Logo será primavera, Leo, quem sabe seu corpo não absorva as cores, os sons e cheiros dessa nova estação?
uma boa semana!

Denise Portes disse...

Lindo e sensual...
Beijo
Denise

Lívia Azzi disse...

As metáforas remetem-me a nudez poética do desejo mergulhadas no perigo da estação.

"não pôde impedir o ímpeto do próprio corpo e saltou sobre o abismo" (C. L.)

Então, aí vai ter show do Rammstein?! Bacana!

Um beijo!

Ana SS disse...

Vemos o mundo como somos. Quem vê douçura, só pode ser doce...

Winny Trindade disse...

Suas postagens adoçam meus dias de uma maneira única.

Abraço meu, beijo para você.

H.Brayan disse...

leo. olá.

adorei muito seu blog... cheio de P.P. (Saint)

visito-te sempre que poder...

sigo-te, abraço.

Sil.. disse...

Menino leo!!

Primavera chegará,
renovação das flores.

Eu vejo flores em você!!!!!

És um querido, sabia?

Te abraço!

Lia Araújo disse...

Ser doce é essencial...
Vc é doce e tudo por aqui é...

beijos querido

te deixo um sorriso pra semana
Eim... quero ver os cachorros

Vivian Mont'Alverne disse...

Poucas palavras, muito conteúdo! :)
Muito bom!

LUZIA disse...

Vim conhecer seu espaço e ao mesmo tempo agradecer sua visita em meu blog.

Gostei daqui!!
Bjos

pammm. disse...

Vi muita luz aflorada aqui.
Amei tudo!
Parabéns.
Pam

Joyce Kelly disse...

E sinto as suas palavras como um leve vento que nos refresca a alma.

Abraço, Leo.

Ótima escolha.

Ana Carolina Vingert disse...

Adoro a sua maneira de postar as coisas aqui sabe,

ps: estou devendo até hoje o depoimento do seu aniversário!
mas me perdoe que será algo especial, melhor do que aquele.

no meu coração esse principe está =)

Mariane disse...

Assim como as estações são ciclicas também nós temos o nosso tempo: "Há um momento em que é preciso abandonar as roupas usadas que já têm a forma do nosso corpo e esquecer os caminhos antigos que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia - e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos." (PESSOA, Fernando)

Mari Carvalho disse...

Liiiiiiiiiindo poema *-*

Nini C . disse...

Nuss, amei.

Aline Calamara disse...

Adoro seus posts. Como gosto bastante do seu cantinho, coloquei um selo do Prêmio Sunshine Awards para você e seu blog lá no meu Prosa de Janela. Ganhei ele de outra blogueira e agora estou presenteando os blogues que gosto também.
http://prosadejanela.blogspot.com

Érica disse...

É a beleza da natureza!
Da natureza humana!

bjãO

Naia Mello disse...

As coisas vão caindo até chegar determinado ponto.