Mas se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol...


sexta-feira, 29 de março de 2013





Como chama você às florzinhas azuis que eu quis colher
à margem do ribeiro?





















 - Que são da cor do céu!

.

Trecho: André Gide. Sinfonia Pastoral.
Arte: René Magritte.

.

9 comentários:

Bruna disse...

Ai Léo, antes de tudo eu queria dizer que muito obrigada, foi/é tão bom ler os comentários que você deixa pra mim, eu não vou mais demorar, é só que eu tenho passado por problemas e tenho tido uma espécie de bloqueio na escrita, um horror. Você por favor não suma, tá?
Sobre o facebook, não sei porque não está funcionando, se quiser me manda o link do seu que eu te adciono. Beijos.

Karlinha Ferreira disse...

Que saudades daki....
Nossa...
Como estás Leozinho?

Beijo grande e amo sua casa...

z i r i s disse...

Como quando precisamos de carinho como se fosse esse, feito de sereno... Fino, peneirado e que aos poucos encharca.


Encharcada.

Déborah Arruda. disse...

Ah, que lindeza infinita!

Aleatoriamente disse...

Que charme Léo.
Que mimo!

Beijos querido

Parole disse...

O azul é sempre um convite a contemplação.

Belas palavras que escolheu.

Beijo.

Shuzy disse...

Bem simples, e tão lindo!

Bruna disse...

Você faz umas relações tão meigas. Ah, Léo... meus adjetivos estão tão gastos. Parabéns. ♥

Bruna disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.