Mas se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol...


domingo, 11 de abril de 2010

"Assim, para quem ama, o amor, por muito tempo e pela vida afora, é solidão, isolamento, cada vez mais intenso e profundo. O amor, antes de tudo, não é o que se chama entregar-se, confundir-se, unir-se a outra pessoa. (...) O amor é uma ocasião sublime para o indivíduo amadurecer, tornar-se algo por si mesmo, tornar-se um mundo para si, por causa de um outro ser: é uma grande e ilimitada exigência que se lhe faz, uma escolha e um chamado para longe."

Lou Andreas Salomé

*

7 comentários:

Leo disse...

Concorda?

Renata Bezerra disse...

Concordar, até concordo... Bonito, mas na prática... Será possível amar alguém de forma tão sublime, tão libertadora, até...

Quando amamos, queremos mudar nossa alma de casa, Leo!!!

Beijos, meu amigo, ótima semana.

Naty Araújo disse...

Vamos amor com intensidade de uma forma sublime. Isso é o que importa. Amar sem dimensão.

Vamos amar e tomar uma dosagem extra de paixão.

Beijos, Leo.

Denise Portes disse...

Ai ai, muito lindo! Eu desisti mesmo de entender em palavras.
Beijos
Denise

Juliana Lira disse...

Demais

Amar a si mesmo, se econtrar e assim dar o melhor de nós para quem amamos!

milhões de beijos

Sarah Slowaska disse...

Lindo excerto.
Sou adepta daquela filosofia em que dizem: " se te faz sofrer, não é amor."

:)
um beijo

ONG ALERTA disse...

O amor é mágico, mas cada um sente de uma maneira diferente...´paz.