Mas se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol...


terça-feira, 31 de agosto de 2010

.
.



Primeiro, eles vieram buscar os comunistas.
Mas, como eu não era comunista, eu não protestei.

Depois, vieram buscar os judeus.
mas, como eu não era judeu, eu me calei.

Então, vieram buscar os sindicalistas.
mas, como eu não era sindicalista, eu não protestei.

Depois, vieram buscar os católicos e,
como eu era protestante, eu me calei.

Depois, vieram buscar os homosexuais,
como eu não sou homosexual, eu não protestei.

Então, vieram me buscar...
e já não havia ninguém para protestar!

Poema: Martin Niemöller
Arte: Tarsila do Amaral

.

17 comentários:

Leo disse...

Sobre o Autor:

Martin foi um pastor luterano, alemão, foi simbolo da oposição aos nazistas, ficou conhecido através deste poema. "Quando os nazistas vieram atrás dos comunistas".

Sobre a Arte:

Chama-se "Operários" de 1933.
Nesta obra, a modernista brasileira pintou rostos de artistas conhecidos para mostrar que todos são operários dentro de uma causa,
inclusive artistas e intelectuais.

LIANA PAULUKA disse...

E essa indiferença nossa de cada dia, esta nos levando para o nada de sempre, as vezes não gosto de ser eu.
bjus querido

Ana SS disse...

ótimo poema, ótima imagem!

Ana Carolina Vingert disse...

Linda postagem baby,

Mas não foi exatamente essa que tinha planejado!

hahahha
Adoro você, sempre

Você me faz um bem danado mesmo estando deste lado!
meu pequeno principe!

Sil.. disse...

Será que virão me buscar?


Lindo Leo.

Beijo de bom diaaaaaaaaaa!

Winny Trindade disse...

Isso é muito o nosso mundo de hoje. Pessoas individualistas ao excesso.

Abraço meu.

Ju disse...

'Isso é muito o nosso mundo de hoje. Pessoas individualistas ao excesso.' [2]


Leeeeeeeeo, lindo! To com saudade! Faz tempo que não conseguimos nos falar... =(


Espero que esteja tudo bem com vc tb.
Amulhe! s2

Lívia Azzi disse...

A competitividade cada vez maior e o individualismo exacerbado trazem consigo o isolamento e a deterioração das relações atuais.

Bom ver você aqui operando para uma causa: mostrar que “o essencial é invisível aos olhos”...

Um beijo!

Malu disse...

Tocante e profundo ...
A tela da Tarsila caiu feito luva , Leo !
Deixo um tanto de Bjos e levo poesia ...Rsrs

Denise Portes disse...

Leo
Esse post me lembrou essa poesia que dizem ser de Maiakovski, mas na verdade foi escrito por Eduardo Alves da Costa, em 1964.

"[...]

Na primeira noite eles se aproximam
e roubam uma flor
do nosso jardim.
E não dizemos nada.
Na segunda noite, já não se escondem;
pisam as flores,
matam nosso cão,
e não dizemos nada.
Até que um dia,
o mais frágil deles
entra sozinho em nossa casa,
rouba-nos a luz, e,
conhecendo nosso medo,
arranca-nos a voz da garganta.
E já não podemos dizer nada.

[...]"

Lindo,né?
Beijo
Denise

@bellanogueiira disse...

Gostei muito daqui Leo, voltarei sempre.
Achei várias coisas em comum. Trechos lindos do Pequeno Princípe e frases que me maravilharam.
Beijos e estou te seguindo;*

bellanogueiira.blogspot.com

Pipa. Agora eu era o herói. disse...

Porque não soltou a voz?


Bastava um grito só.


Te abraço com amor Leo

Pipa. Agora eu era o herói. disse...

Porque não soltou a voz?


Bastava um grito só.


Te abraço com amor Leo

ErikaH Azzevedo disse...

A Omissão nos leva ao abismo da conformidade.
lamentável que sejamos omissos em tanta coisa, né!

A d o r e i .....(como sempre...rs)

Bjos meu lindo.

Erikah

Naia Mello disse...

Que mais coisas eu poderia ser?
me fez quebrar a cabeça.

Alice disse...

Era so reagir... a comodidade e a omissao esta predominante.

Tudo lindo demais.

Um otimo final de semana para voce querido.

Montao de beijos no seu coraçao.

ErikaH Azzevedo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.