Mas se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol...


sexta-feira, 9 de julho de 2010

.


Eu ontem comecei a ir. Fui belo como convém.
Em se tratando de ir,
Vai-se muito mais que vem.





Caminhar é meu enredo.
Vou indo, mesmo com medo.
O próprio medo me obriga.


Poema: Carlos Augusto Cacá
Arte: August Macke


.

14 comentários:

anita sereno disse...

lindo poema e adorei a imagem obrigada pelo carinho no meu blog beijos na alma bom fim de semana

Cris Santos disse...

Caminhar é meu enredo.
Vou indo, mesmo com medo.

Perfeito

Para o alto e avante sempre!
hehehee

Bjus querido ;*

gabriela marques. disse...

Não podemos parar de viver; na tristeza, na alegria, até mesmo no receio, devemos continuar vivendo (caminhando).

♥ Cαmilα Girαssol disse...

Penso que não se pode parar, quando não sabe para onde ir, vá em frente.

BeijO meu

Patricia s2 disse...

tenho que seguir e não ter medo...
tenho que viver e arriscar mais...
bejuxus!!!

Denise Portes disse...

Leo
Esse é o texto mais corajoso que já li.
Beijo
Denise

*Mi§§ §impatia* disse...

O importante é sempre caminhar....as vezes mesmo que devagar.....mas parar nunca.....
Lindo fim de semana amigo, beijos.

Ah tenho msn sim....me add cantinhodamiss@hotmail.com

MJCorrea disse...

simplesmente
sem sequer pensar
sigo
persigo
aqui ou acolá
em qualquer lugar
me vou te encontrar

Renata Bezerra disse...

É. O medo também move.
Saudade de ti, meu querido.

Beijos, e um findi de lindos sonhos reais pra ti.

Alice disse...

Bom dia meu amigo!

Seguir em frente sempre!
Siga os caminhos do coração, a caminhada fica mais corajosa!

Te abraço forte!

Grasi disse...

"Vou indo, mesmo com medo..."
É assim que a gente tem que fazer... enfrentar os medos.
Bjão e um domingo super iluminado.

Pérola Anjos disse...

Se o medo te obriga, eis a sua coragem que dá as ordens ocultamente.
BjsSs!

Sil.. disse...

O próprio medo me obriga.

Tãooooooo eu rs!

Nem tenho vontade de sair daqui, Leo!

Naty Araújo disse...

E se não fosse o medo, não teríamos tantas obrigações...
E se não fosse a coragem... viveríamos trancafiados.

Beijos.