Mas se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol...


quinta-feira, 11 de março de 2010

.

Aterrisei na doçura da tarde. Fico parado junto
a uma fonte e olho as moças. Assim, tão perto da
beleza dessas moças, sinto ainda melhor o mistério
humano. Em um mundo em que a vida se une tanto à
vida, em que as flores amam as flores no próprio
leito dos ventos, em que o cisne conheçe todos os
cisnes, só os homens constroem sua solidão.

(Saint-Exupéry)

.
.

3 comentários:

Naty Araújo disse...

Vai entender os seres humanos, né?
Preferem se fechar dentro de si, do que viver em liberdade.
Com amor, ternura e a doçura da vida.

São coisas tão simples... fico reparando os animais, os pássaros, tudo pra eles são festas, tudo é motivo de se alegrar e estarem sempre unidos.
E nós seres humanos? Quanto mais estão lá no alto, mais querem ficar e derrubar os que estão "acima" deles.

Nossas classes dividem-se em: Humano e desumano.
"O humano é um engano do humano", como diz Antonio Risério.

Viajei demais lendo isso.
Beijão, Leo. Vc faz ótimas escolhas!

Renata Bezerra disse...

Concordo com a Naty...
Somos mesmo muito estranhos!

Beijo, Leo.

MJCorrea disse...

Vim de lá
pra te encontrar
vem cá...