Mas se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol...


segunda-feira, 29 de março de 2010




Dança sobre restos de cristais
deste tempo não tão belo
porque sozinha não estás


Dança sobre antigas cinzas
sobre todas as tuas feridas
sozinha não estás


Se a imagem de teu espelho já não está
será que estás
aprendendo a caminhar?


Dança sobre tua casa, entre a erva
o odor do inverno
sozinha não estás


Dança bela criança, pequena criança
distorções do tempo...
sozinha não estás


Sobre a fumaça que cobriu
a luz de nossa cidade
e ainda que doa


não a podemos modificar
Dança sobre a dor
que a dança à consumirá


Dança sobre a tua rua que dança
sobre esta casa que dança
se não se pode fazer mais...


Dança sobre a desventura
à luz da lua
sobre o campo e o mar


Dança, é caricia, é pudor
dança não é ódio, é amor
é aprender a voar


Se puderes dançar pelo ar
também as estrelas poderão abraçar-te
não sigas agarrada as tuas dores
que não sabem dançar


Dança junto a tua vida que dança
junto a tudo que falta
se não se pode fazer mais...


Dança...
Dança...
Dança...

(Marilina Ross)

.
.
.

3 comentários:

Renata Bezerra disse...

Leo, dançarei!
Obrigada por tuas palavras, aqui e lá :)

E nunca te esqueças, meu silêncio não é minha ausência...

Obrigada, amigo.
Hoje sou eu que te desejo sonhos de creme...

Juliana Lira disse...

Lindo demais!

:(


Milhões de beijos

Naty Araújo disse...

Quero dançar também... Assim...
Pertinho do meu espelho e podendo enxergar a alma através da troca de olhares e o sussurrar das vozes.

Beijos, com a dança que nos levarão aos céus. Deixo-te aqui a incógnita dessa frase rs.