Mas se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol...


domingo, 7 de março de 2010

Diálogo

.
.


Ela: sinto falta da falta da imprensa.

Ele: sinto falta de tanta coisa.

Ela: sinta falta das rodas trovadorescas.

Ele: sinto falta de alguém.

Ela: sinto falta dos gladiadores.

Ele: sinto falta dos sabores.

Ela: sinto falta do tum tum tum do coração.

Ele: ah! como eu sinto falta do tum tum tum, do frio na barriga.

Ela: falta das cores. (risos)

Ele: Vermelhos, azuis e amarelos, sempre faltam.

Ela: Tudo falta, até a vida.

Ele: Dá-me um pouco de vida?

Ela: Se me falta, como lhe ofereço?

Ele: Traga-me cor.

Ela: Não as vejo, como faço?

Ele: Talvez eu te mostre e você me dá.

(...)

.

Leo&Marie

4 comentários:

Renata Bezerra disse...

Muito lindo, Leo!!!

Por mais que se fale que está tudo dentro de nós mesmos, precisamos do outro para encontrar, para entender... Somos metades limitadas. Precisamos de trocas, de interpretações, de olhares.

Adorei.

Be Lins disse...

Você anda mais poético de que nunca, maguinho!

Lindo!


*

Lilian disse...

Suave,sentimental sem ser piegas.
Beijos.

Naty Araújo disse...

Ahhh que doce...
Um viaja em dimensões diferentes em que o amor habita... o outro, que no caso é ela, viaja no mundo das vontades, desejos...
Quando ambos se encontram... ambos se completam.
Um precisa do outro. É como algo sublime... está além do que podemos ver, do que possamos imaginar, do que as palavras possam descrever. Só os sentimentos podem expressar a falta do completo.

Esse diálogo foi uma viagem tão boa que olha o comentário que deu rsrsrs.

Beijão, Leo.