Mas se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol...


terça-feira, 23 de março de 2010

.
.
.

Amor de Tarde

É uma pena você não estar comigo
quando olho o relógio e já são quatro
e termino a planilha e penso 10 minutos
e estico as pernas como todas as tardes
e faço assim com os ombros para relaxar as costas
e estalo os dedos e arranco mentiras.

É uma pena você não estar comigo
quando olho o relógio e já são cinco
e eu sou uma manivela que calcula juros
ou duas mãos que pulam sobre quarenta teclas
ou um ouvido que escuta como ladra o telefone
ou um tipo que faz números e lhes arranca verdades.

É uma pena você não estar comigo
quando olho o relógio e já são seis.
Você podia chegar de repente
e dizer “e aí?” e ficaríamos
eu com a mancha vermelha dos seus lábios
você com o risco azul do meu carbono.

(Mário Benedetti 27-09-1920 - 17-05-2009)

.
.
.

3 comentários:

Renata Bezerra disse...

O tempo passando, a gente perdendo tempo com coisas insignificantes... O que é importante nos pedindo atenção, e nós ocupados em... Em o quê mesmo?

Triste, Leo, muito triste.

Beijo, e obrigada por seres essa pessoa tão sensível e tão transparente.

Naty Araújo disse...

É uma pena ver o tempo passar e não podermos estar próximos de quem queremos.
O tempo se vai, a distância aumenta e o anseio de estar perto também... O que fazer?
O que fazer quando a distância é mais forte que o tempo, mas o tempo não é mais forte do que a vontade de estar junto?
Melhor destruí-los o mais depressa possível.

Lindo, Leo... Deu pra notar que viajei, né?

Beijos com sabor de um sonho que será real.

Cássinha disse...

Triste mas, mto bonito!
=))
:**